10 dicas para lidar com a perambulação

Através da perambulação, o doente de Alzheimer pode se colocar em diversas situações de risco, como quedas, cortes, atropelamentos e até afogamentos. Alguns ambientes da casa podem ser extremamente perigosos para o doente, como escadas, banheiras e piscinas.  Também é perigoso que o doente saia da propriedade, perambulando por ruas e chegando a regiões desconhecidas.

Alguns dos sinais característicos da perambulação são a inquietação e a desorientação, que podem ser apresentados quando o doente está com fome, sede, prisão de ventre ou fortes dores. Os doentes de Alzheimer também podem se tornar inquietos quando estão ansiosos, estressados, entediados ou quando estão expostos a um ambiente desconfortável.

Para evitar que o doente se sinta inquieto ou desorientado, separamos algumas dicas para você lidar melhor com a situação.

  1. Se o doente está começando a demonstrar sinais de perambulação, coloque-o para realizar alguma atividade produtiva ou exercício físico. Dessa forma, toda a energia acumulada será transferida para uma atividade supervisionada.
  2. Caso o idoso pareça desorientado, tente tranquiliza-lo e perguntar de que forma você pode ajuda-lo.
  3. Se o doente costuma ter crises de perambulação com certa frequência, procure identificar o momento do dia em que isso é mais comum. Dessa forma você pode evitar as crises distraindo-o com outras atividades.
  4. Evite barulhos e confusões na presença de uma pessoa que possui Alzheimer, elas podem se sentir desorientadas e com medo.
  5. Instale alguns dispositivos de segurança em sua casa, de forma que você consiga manter janelas e portas sempre fechadas.
  6. Não deixe a mostra objetos e itens que a pessoa costumava levar ao sair de casa, como bolsas e carteiras.
  7. Preze por móveis confortáveis e que limitem o movimento do idoso, de forma a dificultar que ele se levante sem ajuda de alguém.
  8. Fale com vizinhos, porteiros e vigilantes da rua sobre a tendência de perambular do doente, para que todos fiquem atentos caso o vejam circulando sozinho pelas ruas. É importante alertá-los para terem calma nessa situação, informando a algum parente caso o doente não queira voltar para a casa.
  9. Caso a pessoa demore em voltar para casa, você deve ter em mente que ela pode ter esquecido o caminho e se perdido. Para isso, a busca da polícia pode ser a melhor opção. Tenha sempre uma foto de rosto atualizada, além de roupas que possam ajudar cães farejadores a encontrar o doente.
  10. Procure um médico caso a perambulação se torne um problema grave. A desorientação e a inquietação também podem ser resultado de efeitos colaterais de alguns medicamentos.
× Entre em contato!

© 2018 CUIDAR - Todos os direitos reservados