ESTUDO PODE EXPLICAR POR QUE MULHERES TÊM MAIS CHANCES DE TER ALZHEIMER

Já é conhecido pela medicina que o Alzheimer atinge mais mulheres do que homens. Na verdade, de acordo com o relatório anual de Alzheimer mais recente ⅔ das pessoas com Alzheimer são mulheres!

De acordo com a Associação Americana de Alzheimer, ser mulher é o segundo maior fator de risco para o surgimento da doença (em primeiro lugar está ter idade avançada).

Apesar de já sabermos que as mulheres têm mais tendência a ter Alzheimer, não sabíamos ao certo a razão disso.

Um estudo, publicado no periódico PLoS One pode ter a explicação para isso!

O estudo mostra que algumas alterações que acontecem no metabolismo durante o período de desenvolvimento da menopausa (chamado climatério), podem estar associadas ao Alzheimer!

Entenda o estudo

O estudo foi realizado pelo grupo de pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade Cornell em parceria com cientistas da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos.

Os cientistas analisaram como os cérebros de 43 mulheres, entre 40 e 60 anos, metabolizavam glicose, que é a principal fonte de energia das células cerebrais.

Dentre o grupo analisado, 15 participantes estavam na fase pré-menopausa, 14 estavam no climatério e outras 14 já se encontravam na menopausa (um ano após a última menstruação).

O resultado? As mulheres que estavam no climatério e pós-menopausa, tiveram níveis mais baixos de glicose no cérebro do que as outras!

Por que isso acontece?

De acordo com o estudo, as participantes com níveis mais baixos de glicose tinham sinais de disfunção mitocondrial. Isso quer dizer que o processamento de energia das células do cérebro diminuiu sua eficiência.

Uma enzima importante no metabolismo das células, chamada citocromo oxidase, também apareceu em menor quantidade.

Além disso, essas mesmas participantes também tiveram resultados baixos em testes de memória.

Estudos semelhantes

Os mesmos pesquisadores desse estudo já haviam apontado em outros trabalhos que a menopausa pode estar associada a um aumento da proteína beta-amiloide no cérebro, que é um dos principais biomarcadores do Alzheimer.

A principal pesquisadora do estudo Lisa Mosconi disse em entrevista ao Medical News Today que é importante que as mulheres consumam bastante alimentos antioxidantes (como a linhaça) e façam atividades físicas regularmente. Essas atitudes podem manter os níveis de estrógeno saudáveis no organismo. Além disso, ela reforça a importância das mulheres terem um acompanhamento médico a partir dos 40 anos, antes do surgimento de qualquer sintoma neurológico ou endócrino.

Aspectos importantes de uma alimentação pode previner o Alzheimer, Alimentos antioxidantes que você pode começar a colocar hoje mesmo no seu cardápio!

Fonte: Alzheimer360

× Entre em contato!

© 2018 CUIDAR - Todos os direitos reservados