Telemedicina na geriatria e gerontologia – Conceitos Básicos

A pandemia do novo coronavírus modificou uma série de processos diários, nos diferentes aspectos da vida, e quando falamos de atendimento médico não é diferente. A necessidade de isolamento social trouxe ao cotidiano a telemedicina, uma prática que já vinha sendo discutida e que precisou se tornar realidade para garantir a segurança da população, principalmente dos idosos.

“As pesquisas demonstram que o uso da telemedicina para ocorrências clínicas comuns de pouca consequência, como ferimentos leves, cefaleia, entre outros problemas, permite um nível de qualidade de atendimento e resultados semelhantes aos presenciais, quando feitos de forma bem estruturada”, alertam o Prof. Dr. Chao Lung Wen e o Prof. Rubens De Fraga Júnior, autores de artigo sobre o assunto.

Indicada principalmente para aqueles com doenças crônicas, e que o médico já conheça o histórico do paciente, é possível, inclusive, realizar teleatendimento com teleorientação.

Para entender a fundo sobre essa modalidade e sanar as dúvidas comuns, o Prof. Dr. Chao Lung Wen, em parceria com o Prof. Rubens De Fraga Júnior abordam o assunto em três diferentes fascículos. O primeiro artigo trata sobre os conceitos básicos da telemedicina, o segundo sobre aspectos práticos e o terceiro e último discute aspectos jurídicos sobre a modalidade.

Clique aqui e leia na íntegra o primeiro fascículo sobre a telemedicina na geriatria e gerontologia!

× Entre em contato!

© 2018 CUIDAR - Todos os direitos reservados